eshiota.com

Eduardo Shiota Yasuda is a front-end engineer, designer, and occasionaly writer and speaker. He handcrafts clean, readable, scalable code and interfaces; believes that Math and Design are everywhere.

Return to the posts list

7 dicas sobre como cheguei até aqui

Este não é um post que dirá o que você deve fazer, pois sou contra isso. Considere estas 7 dicas profissionais mais como um… guia. Coisas que parecem ser até meio óbvias, mas acabamos esquecendo com o tempo.

Ontem recebi um email do Juan Noronha, um aluno da minha última turma do workshop de Responsive Web Design do Howto, pedindo conselhos sobre como seguir na carreira de Front-end de um modo geral.

Respondi com 7 itens curtos, nenhum sobre uma tecnologia X ou metodologia Y, e sim sobre todas as atitudes profissionais e humanas que tomei que me trouxeram onde estou hoje. Não sou guru, não sou fodão, mas creio que sei distinguir o que me fez chegar até aqui. E boa parte do que listei aprendi com o tempo — muitas vezes cheguei a fazer o exato oposto, mas fui corrigido e encorajado pelas pessoas certas.

Uma pequena parcela das pessoas incríveis que conheci no caminho
Uma pequena parcela das pessoas incríveis que conheci no caminho

1. Procure trabalhar com pessoas boas e que te inspirem

Seja no seu emprego atual, seja em projetos paralelos, procure pessoas inspiradoras. Olhando para trás, os lugares em que eu realmente cresci foram aqueles nos quais trabalhei com desenvolvedores de altíssimo nível e que me ensinaram muitas coisas. Tente constantemente ouvir e absorver tudo o que você conseguir. E se você acha que não há mais nada para aprender, amplie o horizonte, veja novos caminhos. Se não quiser mudar de empresa, vá para um novo projeto, mude de time, contribua para uma ferramenta open source.

2. Aproveite cada chance que tiver pra aprender coisas novas

A cada projeto pessoal que eu faço, eu experimento uma tecnologia, framework ou ferramenta nova. A cada workshop que eu dou, eu tento uma técnica ou approach diferente. Se você faz sites exatamente do mesmo jeito que fazia há um ano, é hora de tentar algo novo.

Foi assim que aprendi JavaScript, Sass, testes unitários, Node, Grunt, Backbone, Bower, Shell, e por aí vai.

3. Procure não ficar confortável demais

É possível sobreviver por vários projetos confiando apenas no jQuery, mas se você não aprender como as coisas funcionam por trás, nunca vai conseguir criar suas próprias soluções e sempre vai depender de plugins e biblioteca dos outros. Da mesma forma, dá pra escrever um código sem estrutura e otimizações, mas aprender a melhorá-lo vai lhe tornar capaz de resolver problemas cada vez maiores.

Procure também participar de todas as discussões, principalmente aquelas em que você não entende quase nada. Já participei de debates de horas sobre a melhor arquitetura para a aplicação, com pessoas falando termos que desconhecia totalmente. Anotei tudo mentalmente, pesquisei a respeito, li artigos e livros, e pouco a pouco fui aumentando minha visão sobre o projeto e sobre o negócio.

4. Tente resolver os problemas sozinhos, mas saiba procurar ajuda

Pesquisando sozinho e fazendo uma solução própria, mesmo que demorando mais, você vai aprender como solucionar um problema. Mas nem sempre você conseguirá achar a resposta e, se conseguir, provavelmente não será a ideal. Nesta hora, não seja arrogante e procure ajuda de alguém que já tenha enfrentado algo similar. Mas não peça por uma solução pronta: tente melhorar o que você já fez ou pedir por uma direção.

5. Ensine o que você puder

RubyConf Brasil 2013
RubyConf Brasil 2013

Sério, ensinar algo é o melhor jeito de aprender e aprimorar o conhecimento. Tente passar o que você aprendeu para colegas que estejam com dificuldades, ou que queiram aprender o que você sabe. Se tiver a chance, faça um pair programming e troque conhecimento com alguém que só mexa em back-end ou infra. Ambos vão sair com novas habilidades. Conhecimento nunca é demais.

6. Arrisque de vez em quando

Você não precisa ter uma vida de aventuras, ou só freelar, ou ficar pulando de um emprego para outro, ou ser aquele cara inspirador que dá palestras em TEDs (mas se conseguir isso, parabéns! =D). Mas às vezes arriscar pode ser bom. Sou uma pessoa que calcula muito os passos e tenta racionalizar as decisões. Se eu dependesse desse meu lado, eu mal sairia de casa. Mas foi arriscando que acabei dando minha primeira palestra, meu primeiro workshop, conheci pessoas, participei de um livro, e vim parar na Holanda.

7. Tenha humildade

Nunca esqueça que sempre haverá algo novo pra aprender. Sempre escolha ser construtivo ao invés de ser destrutivo. Nunca julgue o código dos outros, pois você não estava lá quando as decisões estavam sendo feitas. E lembre-se que todo mundo foi iniciante um dia, incluindo você.

E você, como chegou onde você está? ;)